fbpx

Spoken Word: Pharmakeia

Refletindo o medo estampado, o grito diário era abafado;

Cada frase à procura de uma explicação que redimisse o culpado.

“Ele é assim mesmo, nervoso, mas nunca fez nada de errado;

Foi só um descontrole, eu sei que ele não queria ter me machucado;

Eu também não sou fácil, e outra, foi assim que ele foi educado.”

O perigo da redenção é que uma hora ela pode fazer murchar teu coração.

E em meio à cinza fumaça, buzinas e concreto,

Eu digo que é Circe quem preside esse show indiscreto.

É dela quem precisamos no nosso presente ao olharmos para o passado.

Ela é quem nos ensina a domar os porcos, homens com ideais perturbados.

Corre logo pro teu jardim que ela vai te ensinar uma receita, pra tua dor, por fim.

Para todo violentador, deturpador, agressor e espécime de malandro, oleandro.

Para todo relacionamento abusivo, daquele tipo que entoja, soja;

E se não adiantar prima-dona, atropa belladona.

Para todo ofensor, caluniador, difamador e filho da puta, cicuta.

E para todo o resto que acredita ser essa a “cultura brasileira”, dedaleira.

Circe ensinou a si mesma como ser pharmakeia, feiticeira.

Ao invés de bela, recatada e do lar,

Seja macumbeira, faceira

Corre logo pro teu jardim que ela vai te ensinar uma receita, pra tua dor, por fim.

Para todo violentador, deturpador, agressor e espécime de malandro, oleandro.

Para todo relacionamento abusivo, daquele tipo que entoja, soja;

E se não adiantar prima-dona, atropa belladona.

Para todo ofensor, caluniador, difamador e filho da puta, cicuta.

E para todo o resto que acredita ser essa a “cultura brasileira”, dedaleira.

Circe ensinou a si mesma como ser pharmakeia, feiticeira.

Ao invés de bela, recatada e do lar,

Seja macumbeira, faceira, arruaceira, cachaceira e, principalmente,

Daqueles que correm contigo, parceira.

E quando necessário,

O veneno se torna o antídoto do boticário.

Pra beleza que nunca é vista no reflexo do espelho, a autoestima que não mais acompanha sua dona, belladona.

Pra quando faltar coragem e ímpeto pra cuidar do coração de brasileira, dedaleira.

Pra gozar dos prazeres desse mundo, sem vergonha e plena, verbena.

Pra sorrir a todo momento com disposição e serotonina, cafeína;

De vez em quando, atropina e/ou escopolamina,

Mas só se você manja muito desse tipo de, como se chama nos dias de hoje mesmo?,

Medicina.

E pra lembrar de que tudo na vida é sobre ressignificar,

Lembre-se que pharmakeia, em tempos antigos, era o mesmo que enfeitiçar.

, arruaceira, cachaceira e, principalmente,

Daqueles que correm contigo, parceira.

E quando necessário,

O veneno se torna o antídoto do boticário.

Pra beleza que nunca é vista no reflexo do espelho, a autoestima que não mais acompanha sua dona, belladona.

Pra quando faltar coragem e ímpeto pra cuidar do coração de brasileira, dedaleira.

Pra gozar dos prazeres desse mundo, sem vergonha e plena, verbena.

Pra sorrir a todo momento com disposição e serotonina, cafeína;

De vez em quando, atropina e/ou escopolamina,

Mas só se você manja muito desse tipo de, como se chama nos dias de hoje mesmo?,

Medicina.

E pra lembrar de que tudo na vida é sobre ressignificar,

Lembre-se que pharmakeia, em tempos antigos, era o mesmo que enfeitiçar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *