DEPRESSÃO/ANSIEDADE E O USO DE PLANTAS MEDICINAIS COMO TRATAMENTO NATURAL

DEPRESSÃO = substantivo feminino – Ação ou efeito de deprimir, de se abater física ou moralmente.
[Psicologia] Doença psiquiátrica, de origem crônica, que causa alterações de humor, definida por uma tristeza intensa e permanente, agregada à dor, à desesperança, à culpa etc., com ou sem razão aparente.
[Figurado] Enfraquecimento físico ou moral; desânimo, esgotamento, abatimento.

A depressão ou transtorno depressivo maior é uma doença séria que provoca tristeza profunda e um sentimento de desesperança. Ela pode atingir também crianças e adolescentes, sendo que em algumas pesquisas afirma-se que as mulheres parecem ser mais vulneráveis devido a oscilação hormonal.

ANSIEDADE = substantivo feminino – Desconforto físico e psíquico, agonia, aflição, angústia.
[Psicologia] Condição emocional de sofrimento, definida pela expectativa de que algo inesperado e perigoso aconteça, diante da qual o indivíduo se acha indefeso.
[Figurado] Desejo intenso e impetuoso, impaciência, sofreguidão, avidez, ausência de tranquilidade, medo, receio.

A ansiedade tem sintomas similares ao medo, estado que possui uma função importantíssima. É o que nos permite lutar ou fugir! Ela se torna uma doença quando quando a reação é tão intensa que nos impede de lutar de forma eficaz.
Além do chamado transtorno de ansiedade generalizada (TAG), existem outros, como pânico, fobias e ansiedade social. O estresse pós-traumático e o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) também são classificados como transtornos de ansiedade.

Não entrarei aqui em detalhes científicos sobre a doença, pois não é esse o intuito desse texto, e nem que vocês saiam comprando e tomando qualquer uma dessas plantas sem o devido acompanhamento.
É necessário que se faça um levantamento do histórico físico, mental e emocional antes de se iniciar um tratamento com ervas.
Hoje existem vários tratamentos para a depressão/ansiedade como: terapias, medicamentos alopáticos, medicamentos naturais onde são utilizadas as plantas medicinais, mudanças na alimentação e no comportamento e etc.
Quero apresentar pra vocês de uma forma simples, o que um tratamento natural pode fazer por sua saúde. Aqui darei o exemplo de três plantas que podem ser utilizadas.

*Os tratamentos com plantas medicinais necessitam de um diagnóstico e não dispensam o acompanhamento médico.
*As plantas aqui apresentadas tem comprovação científica do seu uso e eficácia.

MULUNGÚ (Erytrina speciosa – Erytrina falcata – Erythrina mulungu)

Antidepressivo natural, tem ação sedativa sobre o SNC (sistema nervoso central). Usado para tratamento de estados emocionais como histeria, insônia, neurose, ansiedade, agitação, depressão, ataque de pânico, compulsão, distúrbio de sono.
Como relaxante muscular, ele trabalha auxiliando no tratamento de doenças musculares e dos nervos, como a fibromialgia e doenças do sistema respiratório, como a asma.
Utilizamos a sua casca, que pode ser encontrada na sua forma natural ou em pó para a preparação de chás.
Efeitos colaterais: incluem sedação, sonolência e paralisias musculares.
Contraindicações: as sementes possuem substâncias tóxicas, não devem ser usadas.

HIPÉRICO (Hipericum perforatum)

Ansiolítico e antidepressivo natural. Reduz a ansiedade, irritabilidade e melhora o humor e a qualidade do sono. Evita enxaquecas, regulariza o apetite, auxilia nos sintomas da TPM. Antimicrobiana, Reno protetora, cicatrizante (uso tópico), entre outras funções. Ele pode potencializar a produção de serotonina se você já estiver tomando algum medicamento que induz a sua produção (consultar o médico sobre o uso da planta).
O Hipérico impede a recaptação de serotonina durando mais tempo nas suas captações nervosas e isso ajuda a sair do processo de depressão.
Um dos nomes populares do Hipérico é Erva de São João, mas existe uma outra erva, também chamada popularmente de Erva de São João ou Mentrasto (Ageratum conyzoides L.) que é usada para tratar outras doenças, por isso é muito importante saber o nome científico da planta medicinal.
Efeitos colaterais: somente em altas dosagens pode causar dores de cabeça e enjoos, mas reduzindo as doses os efeitos passam.
Contraindicações: não tomar o medicamento durante o tratamento com anticoagulantes. Pode diminuir os efeitos de contraceptivos orais e de medicamentos para o tratamento da asma. Não é recomendado utilizar este medicamento com Clorpromazina ou Tetraciclina.

GRIFFONIA (Griffonia simplicifolia)

Rica em 5-HTP (5 Hidróxicotriptofano) que é um precursor do neurotransmissor serotonina. O aminoácido triptofano é convertido em 5 HTP que por sua vez dá origem à serotonina. Essa planta aumenta muito a disponibilidade desse neurotransmissor.
A Griffonia é um feijão, que tem sua origem na África, muito utilizado na alimentação. Na sua estrutura, a polpa do feijão tem mais de 50% de 5-HTP, ele já entra ativo no organismo e já se torna serotonina.
Tomando juntamente com algum medicamento que aumenta a produção de serotonina, pode causar o seu excesso desse neurotransmissor. O uso da planta em quantidades maiores que a recomendada pode causar prisão de ventre, gases, sonolência, redução do apetite sexual. Os efeitos cessam quando da suspensão do uso.
Efeitos colaterais: podem ocorrer náuseas, vômitos e diarreia.
Contra-indicações: grávidas, mulheres que amamentam e pessoas que estejam fazendo tratamento com remédios antidepressivos, como Fluoxetina ou Sertralina, por exemplo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *