fbpx

Arquivos de Categoria: CRÔNICAS

da Sala de Jantar

É sábio proteger-se com máscaras… nunca se sabe quando encontraremos as significações rígidas alheias para tomar uma xícara de café, ou uma cerveja barata num boteco. É preciso localizá-las bem no centro do rosto, esconder quaisquer pedacinhos à mostra, aparar arestas que nos denunciem.  Uma boa máscara funciona como um espelho das expectativas de outrem. […]

E os sapos fugirão…

Estou caindo na face pluridimensional de um Deus venerado na corrida espacial. Sinto-me bastante especial. A Terra esfria mais e mais e eu me esqueço do que é sentir calor nessas artérias entupidas de sapos engolidos que se mexem e soltam grunhidos guturais. Estou perdido em maratonas psicossociais que me obrigam a sorrir e dar […]

Vícios, virtudes e ideias insanas: um foda-se e seja mais paciente! Ou pacientemente se foda mais!

Nestes dias senti vontade de mandar uma senhora ir tomar no cu. Não o fiz, pois fui inibido por uma série de mecanismos – alguns válidos, outros nem tanto. Por exemplo, responder de maneira violenta escalaria a confusão e eu não queria confusão. Achei um ponto importante. Por outro lado, me senti meio envergonhado de […]

“É claro que não acredito em magia, sou um mago sério”.

“Não é feitiçaria, é tecnologia”. Acima, temos uma imagem manipulada no Photoshop. Meditem sobre isso. Chegamos a um absurdo. Os pontos fora da curva estão se curvando à retidão da formatação social. É o fim e ele não vem de hoje. Se o mundo está encantando/desencantado, se desencantando mais anda ou se encantando novamente foi/é […]

Levante-se até o sétimo chamado!

Sakpata, imagem por Sostoli. Em tempos de COVID-19, pensei em falar sobre os horrores da quarentena. Cogitei a ideia de fazer um texto explicando um pouco sobre os vírus e até imaginei que poderia fazer uma bela carta de despedida. Entretanto, tudo isto seria lugar comum, por isso vou falar dele, que nessas horas é […]

Aos velhos e novos amigos

Aos velhos amigos gostaria de dar um recado. O peso das escolhas encolheu-me severamente. Tão diminuído estou que não consigo encará-los sabendo que tudo que fiz foi equivocar-me. Aos novos amigos, digo: arrependam-se de me ter conhecido, pois sou terrível e carrego um germe que espero que não os contamine jamais. Corram, amigos. Fujam. Penso […]

Camus, eu não concordo (mas talvez estejamos falando a mesma coisa).

Camus disse: “O Homem é a única criatura que se recusa a ser ela mesma”. Camus, meu chapa, viajaste. Como você escreveu “O Estrangeiro”, que é bem bacana, te perdôo. Pela filosofia de Regis, temos que: “O Humano é o único ser que tem de lutar fervorosamente para ser ele mesmo” (REGIS, 2020; manuscrito perdido […]